Índios antes do descobrimento

Índios

(Bom o que estou fazendo é uma resenha sobre os índios antes do descobrimento do Brasil. Se estiver alguma coisa errada, corrijam-me.)

Quando os portugueses chegaram ao Brasil havia por volta de 1 milhão a 8,5 milhões, não existe um numero preciso de quantos indígenas habitavam o território brasileiro. Havia e há varias tribos de indígenas aqui, algumas tribos tinham a dimensão e a população dos paises europeus do século XVI – também de costume e hábitos tão variados como o que havia naqueles paises. Os tupis são o maior tribo em território brasileiro, ocupando uma faixa entre o Amazonas e o Rio Grande do Sul. Dentro dessa tribo havia sub-divisões de outras tribos como: tupinambás, guaranis entre outras. Foram eles que tiveram o primeiro contato com os portugueses. Apesar de serem da mesma tribo, havia dialetos diferentes de uma região a outra. Hoje em dia o numero de indígenas no Brasil é em torno de 400 mil.

A tecnologia deles não era avançada, em comparação com os maias ou astecas. Eles congelaram no período neolítico, ou seja, eles observavam a natureza e cultivavam os animais, onde cada característica das plantas eram mais importante do que estocar alimento, quando o solo se tornava infértil, eles se mudavam, logo eles não construíam grandes casas para se fixarem, pois sabiam que iriam ter que se mudar depois de um X tempo. Eles observavam o melhor período para se plantar, tinham uma dieta com base na mandioca, usavam ervas medicinais na cura de enfermidades, cultivavam o algodão e produziam pigmentos. O principal produto da mandioca era a farinha, mas havia outros como a tapioca.

A divisão do trabalho era através do sexo. Mulheres cuidavam da plantação, do preparo do alimento e por fabricar os instrumentos domésticos cestos e panelas. Os homens construíam as casas, eram responsáveis pela derrubada da mata, pela caça, produção de armas e canoas. Nenhuma tribo tinha conhecimento da metalurgia, acho que só vai ter através do contato com os portugueses e do escambo que eles vão fazer. Em outras palavras, as tribos, apesar de distintas na língua, eram parecidas umas com as outras, ate mesmo na pintura corporal, pois determinada pintura indicava o estado e as condições, como estar em luto, nascimentos, guerras etc.

Cada tribo tinha suas regras, mas uma era comum, não havia “casamentos” entre parentes ou entre membros de uma tribo. O individuo poderia se “casar” com outro de outro grupo ou tribo, e nisso havia uma festa pela aliança de duas tribos ou grupos e caso gerassem um filho, havia mais festa, pois significava a união das tribos. Os vínculos entrem os parentes eram seguidos de rituais, que marcavam a mudança de cada individuo, como o nascimento ou a morte. No nascimento havia um trato especial ao pai, pois achavam que o filho era fruto do pai e que ele se desenvolvia na mãe, logo após o parto a mulher tomava um banho e voltava ao seu trabalho enquanto o pai tinha um trato especial onde ele ficava recluso na oca, longe de sol e vento. Os índios consideravam normal a poligamia.

Quando havia problemas entre tribos, eles ofereciam uma mulher ou um homem a outra tribo, para o casamento. Quando não conseguiam resolver então eles entravam em guerra. Era comum eles seqüestrarem as mulheres da outra tribo ou o combate entre os guerreiros. A vitória era comemorada pelo ritual de antropofagia. Os índios davam muito valor ao mito, com especial atenção ao ciclo da natureza, como a estação de chuva ou seca, colheita etc. Para cada ciclo havia um ritual onde reunia toda a tribo. Era tido como sagrado pelos índios os rituais.

Com a chega dos portugueses ao Brasil, houve uma catástrofe epidemiológica. Pois os índios não tinham anticorpos para suportaram as doenças que os brancos traziam, como a gripe. Eles então acabaram recuando para o interior do território. Apesar de terem sido taxados como mansos, houve impasses com os brancos com a questão da terra, assim como quando havia uma missa eles dançavam e cantavam atrás deles. Mas isso é pano para outro post.

Anúncios