A união de Henrique VIII e Ana Bolena

25 de janeiro de 1533 – Inglaterra

Henrique VIII casa-se com Ana Bolena, sua segunda esposa.

Henrique VIII e Ana Bolena

Henrique VIII casou-se com Ana Bolena contra a vontade de Roma e do papa, que não autorizou a separação que o rei propunha ao papa. Henrique recorreu seis anos ao papa Clemente VII para que anulasse a união entre ele e Catarina de Aragão, unidos desde 1509. Henrique argumentava que esse matrimônio era contra a lei divina, mas o que realmente o atordoava era que Catarina de Aragão estava com 40 anos e jamais haveria de dar luz a um menino, eles tinham apenas uma filha chamada Maria nascida em 1516. Catarina engravidará sete vezes, mas somente Maria sobreviveu, os outros ou morreram após o parto ou ela sofreu aborto natural. O processo de separação de Henrique VIII e Catarina de Aragão ficou conhecido como “a grande questão do rei”, pois Henrique tentou o pedido de separação logo após Roma ter sido saqueada, e o papa Clemente VII não ousou ofender o sobrinho de Catarina – Carlos V – e a resposta para o pedido de Henrique foi negativo.

Durante três anos Henrique tentou usar de formas legais para a separação, mas a resposta era não, assim como ficou cada vez mais determinado a desposar Ana Bolena. Cansado, ousou outra estratégia: caso Roma não lhe cedesse à separação, a igreja da Inglaterra se separaria de Roma. Como não cederam a Henrique, este então se desligou de Roma formando a igreja anglicana na qual se declarou líder, em 1534 sob o Ato de Supremacia proclamou o rei como “único chefe supremo na Terra da Igreja da Inglaterra”. Antes da promulgação da Igreja anglicana, Henrique casará em segredo com Ana, desposando-a. Em maio de deste ano,1533, o arcebispo Cranmer anulou seu primeiro casamento e Ana foi coroada rainha, e em setembro deu a Henrique uma filha chamada Elizabeth.

Ana não conseguiu dar a luz a um menino. Em 1536, a rainha Ana Bolena começou a perder o favor de Henrique. Depois do nascimento da princesa Isabel, Ana teve duas gestações que terminaram em aborto ou morte da criança. Enquanto isso, Henrique começava a prestar atenção em outra cortesã, Joana Seymour. Neste mesmo ano, Ana foi acusada de bruxaria, incesto e traição. Estas acusações eram inteiramente fabricadas por Thomas Cromwell, secretário particular de Henrique VIII. A Corte que tratou do caso foi presidida pelo próprio tio de Ana, Thomas Howard, Duque de Norfolk. Em maio de 1536, Ana e seu irmão foram condenados à morte, entre a fogueira ou a decapitação, o rei escolheu que Ana fosse decapitada. Henrique VIII casou-se mais quatro vezes, sendo o tão sonhado filho gerado por Joana Seymour, que morreu após o parto, o nome do filho deles foi Eduardo – futuro Eduardo VI.

Anúncios