Antecedentes a Revolução de 30

Para se entender o que ocorre entre os anos de 1929 ate os primeiros anos da década de 30, a revolução de 30, é preciso retornar, historicamente, ao período da republica velha. Por que retornar? Porque os fatores que provocam a revolução se encontram nesse período. Vamos a eles:

  • Na republica velha é onde predominava os interesses do setor agro-exportador de café, que era representado pela burguesia paulista e mineira ( a política do café-com-leite). A mercadoria tinha o seu preço variado de acordo com as oscilações do mercado internacional, havia uma dependência do capital externo. Durante os primeiros anos da republica ouve a política do encilhamento – onde produzia-se papel-moeda e distribuirá-se entre a população (de boa fé) esperando que estas investissem em industria, mas acabaram elas aplicando em outras pessoas para terem lucro e essas outras e mais outras e assim por diante; resultado foi a alta da inflação – esta economia provocou o desgaste econômico.
  • Quando chegou-se ao limite dessa política, ou seja, quando ouve a depreciação cambial na período da Campos Sales, o Governo fez, junto ao cafeicultores e credores estrangeiros, o funding-loan, onde o governo se comprometeu a queimar o excesso de papel-moeda em troca de credito internacional a juros altos.
  • Depois disso, já na crise de 29, houve o convenio de Taubaté. Onde os cafeicultores preocupados com as baixas do preço do café, mais a alta produtividade e baixa de mercado consumidor, assinaram um acordo com o governo onde este deveria comprar o café, estocá-lo e quando os preços estivesse bom, então vendia-se o café. Política da privação dos lucros e socialização das perdas.
  • Essa política teve alta rentabilidade no período entre 1906 a 1930. Neste meio tempo ouve a Primeira guerra mundial onde, obviamente, ninguém queria comprar café. Houve então uma necessidade de se ter uma industria, foi onde começou a engatinhar a industria de bens de consumo e produção. O que favoreceu o surgimento dessa industria? O retraimento do fluxo de bens vindo da Europa, mais a necessidade de bens de consumo e de produção. Não se pode falar de uma burguesia industrial, devido aos altos e baixos da industria aqui. Houve mesmo uma burguesia cafeeira.

Essa burguesia cafeeira provocou:

  • O desequilíbrio regional. Devido a política do café-com-leite, onde em um período o governador geral era da São Paulo e no outro período de Minas Gerais, assim sucessivamente;
  • A integração regional era frágil no Império e continuou frágil na Republica;
  • O Estado era praticamente o único representante de integração nacional, embora ele representa-se diretamente o interesse dos cafeicultores, como uma espécie de guardiã deles;
  • Havia a regionalização dos Estados, mas não representou uma grande ameaça para o poder central.

Em síntese, a vida política, cultural e econômica girava no eixo São Paulo e Minas Gerais. E para aqueles que não sabem o que é a política do café-com-leite eu explico a minha moda. A política do café-com-leite consiste na troca de governo entre SP e MG, em um periodo governa um representante desses Estados e no outro periodo o outro.

No próximo Post escreverei o que foi o estopim para a revolução de 30 e quem estava envolvido, e também sobre  Aliança Liberal.