Resenha de Ingold, Tim: Humanidade e Animalidade

Vamos a mais uma resenha, e a mais um textão da graduação.

Resenha feita no segundo semestre para antropologia. Novamente, peço, cuidem com os erros que ela deve conter. E, se usarem, me citem, o meu currículo CAPES agradece.

😉

O homem é a espécie mais recente na historia da vida natural da Terra. Ele é dotado de racionalidade, onde tem consciência de si e se constrange com as opiniões alheias, ele é um animal atemporal, ou seja, um animal religioso. Ele possui o dom da linguagem, onde descreve, argumenta, especula-se engana, se mostra inquieto com as questões de verdade e mentira. Para a existência humana é preciso ter duas qualidades essenciais que são a razão e a consciência, onde a primeira baseia-se em dados de observação empírica e a segunda em um processo introspectivo. O autor vai debater neste texto os aspectos do que é animalidade e o que é animalidade, como conhecer o que é ou não o ser humano.

ser ou não ser2

Para nós os conceitos de “animal” e de “humano” aparece cheio de associações que são repletas de ambigüidades e sobrecarregadas de preconceitos intelectuais e emocionais. Para a construção do conceito de homem, os animais ocupam uma posição central, pois a cada geração se (re)constrói a concepção de animalidade como sendo um deficiência de tudo o que supostamente o homem tem e eles não tem, como a razão, a linguagem, o intelecto e a consciência moral; entretanto cada geração também lembra que o homem é um animal, e fazendo esta comparação serve para que nós nos compreendermos melhor.O autor divide seu trabalho em três partes.

Na primeira ele vai tratar sobre a esfera da biologia, analisando a definição de homem como espécie animal, como reconhecer o que é ou não um ser humano, então ele dará um exemplo de um tenente da marinha sueca chamado Nicolas Köping que avistou homens que possuíam caudas em uma ilha e ao longo deste exemplo ele irá se perguntar o que define ou não o que é um ser humano. Será a sua aparência, seu porte físico, sua cor, deficiências ou partes a mais em um corpo? Pois estes homens sabiam a arte da navegação, estavam acostumados ao comercio e faziam uso do ferro, entretanto eles eram diferentes dos homens habituais, pois possuíam caudas. Logo nesta concepção ele nos dirá que não devemos nos deixar levar pelas concepções estreitas e eurocêntricas do tipo de coisa que é um ser humano, pois o gênero humano não é fixo e imutável, ao contrario, ele é variável tanto em termos históricos quanto geográficos; sendo esta variabilidade o traço distintivo da espécie animal, pois os seres humanos não possuem a mesma aparência, tamanho, formato, cor em todos os lugares. A biologia relata que o indivíduo possui um alto grau de variabilidade, sendo a singularidade do indivíduo que vai o distinguir dos organismos vivos e dos inanimados, porque todo o cristal é uma replica e todo o organismo vivo é uma inovação, logo os seres humanos podem vir a ser os ancestrais de um futuro descendente.

image01225-500x174

Na segunda abordagem ele trata da visão filosófica do que é ou não o ser humano. Esta perspectiva traz um significado alternativo de ser humano, oposta a abordagem de animal. Aqui se tratará que a existência humana advém da riqueza e diversidade cultural, que é comparada com a diversidade da natureza em si. A palavra humanidade passa a ter uma conotação de estado ou condição humana do ser, oposta a condição de animalidade. A animalidade aqui consiste na noção de qualidade de vida no estado de natureza, onde o homem primitivo era conduzido pela suas paixões brutas, livres de constrangimentos morais e da regulação dos costumes, pois os primeiros humanos são movidos pelos instintos vivendo então em um estado de animalidade. O autor faz uma comparação entre os orangotangos adultos e os bebes humanos, pois em cada orangotango vê-se uma criança pequena; a criança ilustra o desenvolvimento da espécie, ela é um selvagem porque não tem nenhuma firmeza de propósitos, logo cada indivíduo é um resumo da raça e a criança ilustra seu desenvolvimento enquanto espécie. Nesta abordagem se irá apontar para que a condição como essência do ser humano se revela como a diversidade cultural, ou seja, para se tornar humano é preciso se tornar diferente dos demais seres humanos que falam idiomas ou dialetos diferentes, logo a animalidade humana se revela na ausência dessa diferenciação, ou seja, na sua uniformidade. Então para o ser humano existir é preciso, primeiro, existir como espécie, não conferindo qualidade a pessoa, onde o conceito de humanidade reside numa categoria biológica; segundo existir como ser humano, ou seja, existir como pessoa, o que aponta para uma condição moral.

E na terceira abordagem o autor faz um misto destas duas abordagens. Ele nos reafirma as ideais da biologia, onde a espécie humana é tão singular quanto as demais espécies onde cada individuo representa uma combinação particular. O que nos diferencias dos outros animais é nossa capacidade de raciocinar, nossa linguagem, consciência moral, costumes, códigos…sendo que o homem é um animal que erra e se constrange com as opiniões alheias, que fica inquieto com as questões da verdade ou da mentira. E que vemos uma criança em cada chimpanzé maduro e por isso o tratamos como se fosse um caso de desenvolvimento interrompido.A fronteira entre a espécie humana e as demais espécies animais não é paralela, ela cruza as fronteiras entre animalidade e humanidade com estado de ser. Nossa visão do que é uma pessoa, do que é um ser humano é muito dependendo da visão de mundo ocidental.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário, sugestão, critíca, elogio. Ou, simplesmente, um post que gostaria de ver nesta página! Obrigado pela atenção...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s