Dominação Burocrática

Trabalho de sociologia, o ultimo do semestre \o/

Dominação e suas faces.

Meu grupo é o segundo a apresentar o trabalho no dia 12 de julho de 2010, e o tema de nosso trabalho foi: Estudos Sobre a Dominação Burocrática na Atualidade. Nós nos dividimos e fomos pesquisar em diversas áreas econômicas. Nesta folha irá constar o meu objeto de pesquisa e mais alguns fatos que observei no relato de meus colegas. Meu objeto de pesquisa foi uma rede de lojas localizada no centro de Porto Alegre e que vende quase tudo, menos alimentos básicos como arroz, feijão, carne e pão.

Quando fui fazer a pesquisa, fui com um pré-conceito formado. Este pré-conceito seria de que os funcionários seriam oprimidos e/ou temiam seu chefe, haveria então uma hierarquia rígida, entre outras coisas, todavia não foi assim. Max Weber diz que a dominação está ligada a submissão total ou parcial de um grupo de pessoas a outra, ao qual é designada o cargo de chefe ou gerente ou outra dominação dependendo do setor econômico ou administrativo. Existe então uma relação de dominantes e dominados, onde existe uma subordinação dos inferiores aos superiores devido à hierarquização dos cargos/funções administrativas, onde também existe um direito de queixa regulamentado e a base do funcionamento seria a disciplina do trabalho.

Isso que acabei de descrever foi o meu pré-conceito que eu levei comigo para o campo de observação. Achei que haveria uma opressão escancarada, mas não havia, e também de que não me receberiam bem, todavia foi o contrario. Não tive problemas para aplicar um questionário e fui muito bem recebida pelo gerente, que me deixou andar livremente pela loja, além de que se eu precisasse de mais dados, as portas da loja estariam abertas para mim. Os funcionários não se queixaram do gerente, nem do serviço. Tanto no serviço quanto na saída dele não houve queixas, mas sim dos colegas que exerciam, conforme minha conclusão com base nas respostas, uma cobrança fora de medida pelo trabalho desempenhado dentro da loja, havia uma disputa por ascensão de cargos que ficou clara. Não vi uma dominação escancarada, mas sim sutil. Sutil no sentido das normas da empresa e que se algum funcionário não as respeita ou cumpre, logo este funcionário é plausível de ser demitido. É como Weber diz: “a dominação costuma apoiar-se internamente em bases jurídicas, nas quais se funda a sua ‘legitimidade’, e o abalo dessa crença na legitimidade costuma acarretar conseqüências de grande alcance.”.

Nessa loja havia as regras e elas deveriam ser cumpridas. Existia uma hierarquia, mas com possibilidades de ascensão, além de que o gerente era acessível aos trabalhadores dessa loja. Conclui que a dominação burocrática é presente em nosso cotidiano, mas tem as suas faces, como uma colega minha na apresentação que falou que os funcionários agiam de uma forma perto do supervisor e de outra forma sem a presença dele devido à opressão que este exercia sobre eles. Existe então uma opressão/dominação por parte dos chefes e também de colegas de trabalho, depende da sua legitimação e regras do ramo que o trabalhador exerce.

Bibliografia: Weber, Max. “Os três tipos puros de dominação legítima”

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s